Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
Grecia: Existe un "bo dracma"?
02/09/2015Michel Husson
A experiencia recente mostra que a redución de salarios en Grecia non se traduciu nunha redución de prezos senón nun aumento das marxes de benefi...
O euro e o desemprego em Portugal
01/09/2015Manuel Brotas
São menos os trabalhadores portugueses que produzem riqueza e maior a proporção dos trabalhadores, igualmente explorados, que asseguram a circula...
A era das guerras imperiais (Das guerras regionais, às "mudança de regime" e à guerra global)
31/08/2015James Petras
Milhões de refugiados de guerra escapam rumo à segurança na Europa Ocidental, juntando-se aos milhões de refugiados económicos que fugiram da p...
UE/Euro: Prisão de povos
17/07/2015Jorge Cadima
Os acontecimentos dos últimos dias são portadores de importantíssimos ensinamentos sobre a verdadeira natureza da dominação de classe, do imper...
A operação em curso – nome de código: Grécia
10/07/2015Vaz de Carvalho
Contrariamente às ilusões europeístas o sistema é incapaz de resolver os problemas provocados pela financeirização da economia a favor do rent...
Grécia – a força do povo
10/07/2015Ângelo Alves
Uma guerra de classe
10/07/2015Filipe Diniz
O caldeirão grego
03/07/2015Luís Carapinha
Opinión
Sorprende a estas alturas, cando están ben identificadas as causas da crise financeira neoliberal, escoitar algunhas voces que receitan o abaratamento do despedimento, ou o despedimento libre, para garantir a continuidade das empresas. Non se refiren, claro está, ao despedimento de altos cargos directivos que deixan compañías ao borde da desfeita, percibindo unhas blindaxes contractuais que p...
16/3/2009 Nouriel Roubini
O sistema financeiro americano está de fato estatizado, uma vez que o Federal Reserve se tornou fonte de empréstimos de única e primeira instância e o Tesouro, o “gastador” de primeira e única instância. A única questão é se os bancos deveriam também ser nacionalizados de direito e não apenas de fato... Com a contração da atividade econômica mundial no mesmo ritmo dos últ...
16/3/2009 Altamiro Borges // Vermelho
20090316_crise
Os últimos dados econômicos indicam que a crise capitalista será mais destrutiva do que muitos imaginavam. Ela está mais para um tsunami do que para uma "marolinha". Ainda não deu para prever sua dimensão ou duração, mas ninguém mais duvida dos enormes estragos que causará e muitos se recordam do desastroso crash de 1929, que só atingiu o seu pico quatro anos depois — em 19...
O keynesianismo e o neo-keynesianismo non constitúen unha receita infalíbel para solucionar os problemas económicos do capitalismo. O capitalismo tivo grandes crises con políticas neoliberais e con políticas keynesianas tamén. Do ano 73 ao 75 houbo unha profunda crise capitalista que se deu baixo políticas keynesianas, e foi xustamente un factor que impulsou a substitución da política ke...
20090313_sarkozy.otan
Nicolas Sarkozy queria que a sua presidência fosse uma ruptura com o «modelo social francês» que a falência do capitalismo financeiro à moda americana veio agora avivar. Terá ele então decidido acabar com uma outra tradição francesa, a da independência nacional? Embora durante a campanha eleitoral nunca tenha aludido a uma tal «ruptura», e que depois tenha feito depender o regresso d...
O capitalismo dos EUA é o centro do capitalismo do mundo. É financeiramente, industrialmente e militarmente dominante e todo segmento da economia capitalista mundial está ligado de alguma forma à Wall Street – desde Berlim a Bangkok, desde Mumbai a Manilha, desde Roma ao Rio. Todos os sintomas agora exibidos nos EUA estão a ser reproduzidos a nível mundial, muitas vezes numa escala ainda ...
cig.prensa@galizacig.com