Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
Um olhar sobre o Brexit
01/07/2016João Ferreira
A ausência ou debilidade de projectos de ruptura pela esquerda com a UE constitui um perigo capaz de comportar consequências potencialmente trági...
Brasil: O golpismo contra-ataca
30/06/2016Emir Sader
A incapacidade de iniciativa política da luta contra o golpe, que combine mobilizações populares com proposta política viável no curto prazo, ...
Porque os britânicos disseram não à Europa
28/06/2016John Pilger
O voto maioritário dos britânicos a favor do abandono da União Europeia foi um acto de democracia pura. Milhões de pessoas comuns recusaram-se a...
UE: Os dias contados
28/06/2016Jorge Bateira
Tendo em conta que as políticas da UE não serão alteradas no essencial, já que isso é do interesse das elites alemãs e da tecno-burocracia de ...
O referendo inglês: o irrecusável "não", suas perspectivas e riscos
28/06/2016Haroldo Lima
A UE frustrou a esperança de vida de grande parte da gente que dizia unir. O bem-estar foi substituído pela "austeridade". E as reações se este...
O direito soberano de decidir
23/06/2016João Pimenta Lopes
Opinión
18/8/2009 Albano Nunes // Avante
20090507_soldados.afghanistan
A guerra no Afeganistão intensifica-se. As tropas anglo-americanas e da NATO são cada dia mais numerosas e as operações militares atingem cada vez mais dramaticamente as populações civis. Ao mesmo tempo aumenta a resistência às forças de ocupação que no último mês sofreram o maior número de baixas de sempre. A braços com a crescente oposição à guerra nos seus próprios países, ...
Alexandre Bóveda
O 17 de agosto de 1936, na Caeira, foi fusilado Alexandre Bóveda Iglesias, secretario de organización do Partido Galeguista, forza da que formaba parte da direción desde a súa fundación en decembro do ano 1931. As balas do seu asasinato alentaban o retroceso social, a mordaza política e a negación da identidade singular de Galiza. Da súa morte dixo Castelao que enterraban semente, e tiña...
Castelao Muros
Os que o tiñan desterrado agora falan ben del “Cando alguén que non coñeces che manda flores…” Nunha entrevista concedida a Xornal http://www.xornal.com/artigo/2009/07/28/politica/alberto-nunez-feijoo-castelao-tina-clarisimo-galicia-espana/2009072800221730842.html o presidente da Xunta, Alberto Núñez Feijoo, declarábase seguidor de Castelao. Aseguraba que non facía falta ter unha i...
Caixa Galicia absorción
As Caixas de Aforros naceron para favorecer a inclusión financeira dos sectores mais desfavorecidos fronte a usura da Banca, un obxectivo fundacional que non podemos esquecer, máximo nestes tempos revoltos no sector financeiro.   Durante o proceso de descentralización do Estado existiu un consenso para ligar as Caixas á nova estrutura territorial. Froito daquel consenso as Caixas de ...
12/8/2009 Aurélio Santos // Avante
No momento político português é inevitável constatar que reclamações (designadamente ao PCP) de integrar uma «nova política de alianças», mantêm um silêncio pudicamente discreto sobre quais as bases em que essas alianças poderão estabelecer-se. Verifica-se infelizmente a olho nu que muitos dos que falam da necessidade (real) de uma «convergência da esquerda» não têm sido cap...
12/8/2009 Manuel Mera // La Region
USA imperialismo
Nun artigo recente sobre a Colombia de Uribe o economista arxentino Atilio Borón, un analista sobranceiro da América Latina, que entre outros libros ten un que paga a pena ler no que rebate as teses de Toni Negri encol do imperialismo, afirma que Obama aplica a mesma filosofía que o presidente Theodore Roosevelt na política exterior: fala baixiño porén leva un grande garrote. Por iso, malia...
cig.prensa@galizacig.com