Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
UE/Euro: Prisão de povos
17/07/2015Jorge Cadima
Os acontecimentos dos últimos dias são portadores de importantíssimos ensinamentos sobre a verdadeira natureza da dominação de classe, do imper...
A operação em curso – nome de código: Grécia
10/07/2015Vaz de Carvalho
Contrariamente às ilusões europeístas o sistema é incapaz de resolver os problemas provocados pela financeirização da economia a favor do rent...
Aprofundamento da União Económica e Monetária Europeia – ensaio sobre a cegueira
10/07/2015Miguel Viegas
Em traços gerais, este relatório dos cinco presidentes aponta para o reforço dos pilares neoliberal e federalista da UE. Podando o discurso dos h...
Grécia – a força do povo
10/07/2015Ângelo Alves
O povo grego emitiu uma opinião muito «simples» e clara. Quer mandar no seu próprio devir colectivo. Entende que o seu país é o seu povo e nã...
Uma guerra de classe
10/07/2015Filipe Diniz
A UE conduz uma guerra. Descrever essa guerra como uma guerra que opõe países ricos e países pobres não ajuda a entender a sua natureza. É uma ...
O caldeirão grego
03/07/2015Luís Carapinha
Ucrânia, o fascismo galopante
25/06/2015Raúl Antonio Capote
O contra-senso comum
25/06/2015Boaventura de Sousa Santos
Opinión
6/3/2009 Manuel Mera
20090306_mani.cig
O vindeiro 10 de marzo, Día da Clase Obreira Galega, a CIG vaise mobilizar en todas as cidades galegas "polo emprego e a defensa das prestacións sociais". Os dados económicos e sociais son preocupantes, o Banco Europeo vaticina unha queda da economía no Estado español de case que o 3%, e o desemprego atinxiu este mes as 206.570 persoas en Galiza, máis dun 15,5% da povoación activ...
6/3/2009 Astrit Dakli // Vermelho
Em 1989, os líderes dos países da Europa Ocidental, com a Alemanha à frente, pensavam que seria um processo fácil, rápido, automático: adeus aos putrefatos regimes do "socialismo reall". Os países da "nova" Europa, invadidos por mercadorias e capitais dos "irmãos" do Ocidente, mais ricos e espertos, seguiriam imediatamente o caminho do bem-estar e da democrac...
6/3/2009 Eduardo Bomfim
Os indicadores da crise econômica internacional revelam o desastre provocado pelo delírio da especulação global, demonstrando que a sede do lucro não conhece a prudência e o bom senso. A débâcle de vários bancos de investimentos, considerados como os mais capitalizados em todo mundo é um exemplo de que a ganância comanda todos os sentidos, inclusive o da sobrevivência. O socorro...
Durante algum tempo, os governos europeus exprimiram a sua solidariedade para com os Estados Unidos, porque a recessão lá parecia forte - e era. OS EUA, no entanto, pareceram menos piedosos, mas mais lúcidos. A crise não é menos profunda na Europa do que nos Estados Unidos, pelo contrário. Ora os chamados planos de relançamento são na Europa lamentavelmente frouxos. Uma vez mais, uma e...
Alguns anos atrás, as expectativas e o fervor integracionista na região, especialmente no MERCOSUL, davam origem a especulações e prognósticos muito mais auspiciosos que os atuais. Pensemos, por exemplo, nos anúncios e projetos que vieram após a crise de 2001-2002 no Cone Sul. Os contextos variaram dramaticamente desde aquela época... Os atuais dilemas da inserção internaciona...
A política externa da Venezuela procura a aproximação aos movimentos populares, sendo protagonista das Cimeiras dos Povos realizadas na América e na Europa, desafiando inclusivamente a concepção “contra a política”, que impera em muitos dos movimentos que protagonizam a resistência à globalização capitalista. É claro que defende os seus próprios interesses, o que pressupõe uma a...
cig.prensa@galizacig.com