Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
Portugal: Sanções, FMI e cegueiras
24/08/2016Sandra Monteiro
A arquitectura da União Europeia neoliberal, mais ou menos punitiva, está formatada para impor a Portugal desemprego, salários baixos, emigraçã...
A nova doutrina estratégica Turca
23/08/2016Thierry Meyssan
A nova doutrina estratégica Turca conduziu já Ancara a restaurar boas relações, pelo menos comerciais, com vários dos seus vizinhos. No fim de ...
A lógica do capitalismo neoliberal
22/08/2016Prabhat Patnaik
Os dias tranquilos do neoliberalismo estão acabados, o que portanto traz para a agenda histórica uma luta pela sua transcendência. Isto pode ser ...
Francia: despois da tormenta, chega o naufraxio
22/08/2016Albert Alexandre
A reacción pola dereita que a viraxe cara ao socialiberalismo do PSF supuxo co crecemento da Fronte Nacional, ten o seu parangón positivo pola esq...
Portugal: Os incêndios florestais (por trás das chamas…)
22/08/2016João Dinis
As políticas impostas pela PAC (Política Agrícola Comum) e por outros «acordos» internacionais e as erradas opções no plano nacional, a polí...
Guerras e crises na África de hoje
22/08/2016Carlos Lopes Pereira
50 verdades sobre Fidel Castro
17/08/2016Salim Lamrani
A OTAN como ameaza á paz mundial
17/08/2016Augusto Zamora R.
Opinión
7/8/2009 Manuel Mera // La Region
Mosteiro de Oseira
O ano 1909, fai agora un século, foi un deses anos nos que o campo galego amosou toda a súa enerxía social, produto do descontente acumulado e os anceios dos labregos de transformar pra ben unha realidade ateigada de sacrificios e opresión. Eran tempos no Estado español do segundo governo do conservador Antonio Maura (25-1-1907 a 21-10-1909), da guerra de Marrocos, e da Seman Tráxica de Bar...
20090803_honduras-mobilizacion.pro.zelaya.jpg
O golpe de estado en Honduras non só tivo como obxectivo liquidar o elo máis débil da ALBA, Honduras, co seu presidente Manuel Zelaya quen, malia a súa orixe conservadora, emprendía tímidas reformas sociais e, por motivos económicos, achegábase a Venezuela, o que o facía aparecer como perigoso revolucionario. Tamén está dirixido para reforzar a desestabilización en Guatemala (c...
3/8/2009 Paul Singer // Adital
A crise internacional vem atingindo os países da América Latina de formas diversas devido às grandes diferenças entre eles. Países de dimensões médias e grandes e já bastante industrializados e urbanizados, como o México, Argentina, Colômbia, Peru, Venezuela e Chile foram alcançados pela crise de modo semelhante ao Brasil: fuga de divisas, queda das exportações e do crédito externo,...
Estamos longe de 1979 e cada vez mais próximos das determinações de Sandino. Ter a história nas mãos deixou de ser uma promessa do universo poético de Victor Jara. O presidente Ortega e as demais lideranças populares eleitas democraticamente no continente sabem disso. Sempre haverá lacuna em qualquer análise que se pretenda dialética. Se o pensamento realiza o esforço de se abrir...
20090731_inmigracion.jpg
Semanalmente chegam às costas espanholas embarcações dos tipos mais elementares, de africanos tentando chegar a território europeu, na busca de alguma forma de trabalho para poderem sobreviver em condições menos penosas que as enfrentam nos seus países de origem. Uma proporção grande deles já chega morta, pelas difíceis condições da travessia pelo mar. Todos são devolvidos par...
31/7/2009 Jorge Cadima // Avante
A crise mundial do capitalismo está longe do fim. Em última análise, é uma enorme crise de sobreprodução. Forças produtivas imensas terão de ser destruídas. Mas ao destruir o poder de compra de quem trabalha, também se aprofunda a crise. Os efeitos da crise vão continuar a devastar a vida de muitos milhões de seres humanos. Quando a grande crise económica do capitalismo eclodi...
cig.prensa@galizacig.com