Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
O golpe de Estado de 2016 no Brasil
19/05/2016Michael Löwy
A prática do golpe de Estado legal parece ser a nova estratégia das oligarquias latino-americanas. Testada em Honduras e no Paraguai (países que ...
Grécia – a tragédia que continua
19/05/2016João Ferreira
A Grécia é também a mais viva demonstração da indispensabilidade de preparar um país que queira crescer e desenvolver-se, que queira concretiz...
Brasil: O papel da política externa na restauração do neoliberalismo tardio
19/05/2016Marcelo Zero
A política externa e a forma de inserção no cenário mundial podem contribuir fortemente para tornar o Brasil, de novo, um país periférico, dei...
Brasil: A volta da classe do privilégio
18/05/2016Leonardo Boff
O atual processo de impeachment à presidenta Dilma se inscreve dentro deste quadro golpista  pois se trata de tirá-la do poder não por via ...
TTIP: A “OTAN económica”
18/05/2016Manlio Dinucci
A negociação do TTIP insere-a na tentativa geoestratégica estadounidense de resistir ao declínio do seu domínio mundial. O objetivo dos EUA, a ...
Estado español: Volven as turbulencias
13/05/2016Albert Recio Andreu
Os papéis do Panamá e Portugal
09/05/2016Agostinho Lopes
Opinión
1/7/2009 Manuel Mera // La Region
20090701_crise
As informacións sobre a crise semellan ser boas pra os grandes grupos económicos financeiros, porén son moito máis pesimistas pra chamada economía real. Isto é o que parecen confirmar as últimas análises feitas desde os círculos próximos á oficialidade tanto dos Estados Unidos como da Unión Europea. No primeiro caso falase de que se superou o peor momento, porén que se tardar...
We live in Financial Times. Quiosque en Madrid. Foto © Xurxo Martínez Crespo
Hai leis que nacen mortas. A Lei de Memoria Histórica é unha delas. Son desas leis para “progres”, como para dar pequenos saltos sobre unha tibia que non se sabe ben se é dun desaparecido ou dun can. Cando intentas sabelo impídencho por non teres os permisos necesarios. As rúas da Coruña, de Galiza e de gran parte do Estado español, os seus monumentos, a Monarquía española, os...
30/6/2009 Marcelo Colussi // Rebelión
O caso de Honduras amosa que hoxe se fala outra linguaxe política e ninguén pode invocar nin saudar alegremente un golpe anticonstitucional. Pero amosa tamén que pateticamente, máis aló do repudio dos distintos gobernos, os pobos seguen estando indefensos fronte aos poderes de feito: uns cantos tanques de guerra postos nalgunhas cidades, o corte de enerxía e unha boa campaña mediática seg...
20090630_protesta.anti.bush
A exportação dos seus problemas é uma das características da estratégia imperial dos EUA. É o complemento indispensável da “missão civilizadora” que se atribui como potência pelo mundo afora. Não houvesse um mundo selvagem fora, não se poderia justificar a ação “civilizatória” que os EUA reivindicam. Em janeiro de 2002, George W. Bush, então presidente dos EUA, anunci...
O paradoxo das recentes euroeleições é que a decadência do neoliberalismo ajudou mais a centro-direita que a centro-esquerda. Mas para esclarecer o fenômeno, é preciso examinar o processo eleitoral histórica e dialeticamente. É como um jogo em que no mundo galopantemente modificado, um dos jogadores copia dados pela ideologia de seus adversários, incorporando sua própria e...
30/6/2009 // ODiario.info
Ao longo dos últimos 60 anos, os EUA têm desempenhado um papel decisivo na manutenção do conflito entre Israel e a Palestina. Obama não deu nenhum indício que esse papel vai mudar. Um jornalista da CNN, dando uma informação sobre os planos de Obama para o discurso de Junho no Cairo, Egipto, dizia assim: «Obama tenta chegar à alma do mundo muçulmano». Talvez isso sirva como uma ...
cig.prensa@galizacig.com