Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
Análise da conjuntura política brasileira
23/09/2016João Pedro Stédile
O golpe não conseguiu legitimar-se. No jurídico se evidenciou a contradição na manutenção dos direitos da President. E nas ruas, perdeu a legi...
Bratislava : a cimeira da mesquinhez
23/09/2016Thierry Meyssan
Três meses após a decisão dos eleitores britânicos em sair da União Europeia, os seus chefes de Estado e de governo —com a excepção do Prim...
O consenso de Bruxelas
23/09/2016Ângelo Alves
Salvar a Europa significa derrotar a União Europeia e o consenso que apesar das contradições emergentes parece prevalecer entre direita e social-...
Brasil, o elo mais frágil do neoliberalismo na América Latina
22/09/2016Emir Sader
Apesar da realização do sonho da direita de recuperar o controle do governo, as bases em que o faz são extremamente frágeis, fazendo do Brasil o ...
Cartografía da loita de clases en América Latina e o Caribe: Posneoliberalismo vs. Capitalismo offshore
22/09/2016Katu Arkonada
O devalo da hexemonía estadounidense, xunto co rol cada vez máis ambicioso de China e Rusia no taboleiro xeopolítico, xera condicións máis favo...
O Decálogo “neo-neoliberal”
20/09/2016Ava Gomez e Alejandro Fierro
Os golpes de Estado de ontem e de hoje
15/09/2016Marcos Roitman Rosenmann
Opinión
20090728_obama.turkey.protest.jpg
Os acontecimentos recentes nas Honduras e no Irão, onde os governos eleitos democraticamente enfrentam os actores civis e militares pró-Estados Unidos, que intentam derrubá-los, podem ser melhor compreendidos como uma parte duma estratégia mais vasta da Casa Branca, concebida para um desfazer dos ganhos alcançados por governos e movimentos de oposição durante os anos de Bush. Duma fo...
A política externa da Casa Branca trafega sobre o fio da navalha. Sabe que Zelaya está mais próximo de Chávez que dos falcões usamericanos que ainda comandam a CIA. Esta agência, especializada em terrorismo oficial, não foi devidamente saneada por Obama. E, agora, tenta justificar o golpe sob o pretexto, infundado, de que o presidente da Venezuela estaria prestes a remeter comandos militar...
Há muito mais por trás da pandemia: interesses da indústria farmacêutica, privatização do saber médico, resistência à quebra de patentes, qualidade dos sistemas de vigilância epidemiológica, infra-estrutura de atendimento, distribuição desigual dos benefícios das políticas de saúde entre países e pessoas. O agribusiness internacional faz parte desse cenário. Tudo come...
Mural, Caracas. Foto Xurxo Martínez Crespo.JPG
Bolivia ten dous presidentes, un o do país, Evo Morales, e outro o de El País. O presidente do país chamado Bolivia chamase Evo Morales, e o presidente de El País chamase o indíxena Evo Morales. Ao presidente de Bolivia elixiuno, libre e democráticamente, o seu pobo, o pobo boliviano. Ao presidente de El País, elixiuno unha serie de intereses escuros, mentiras, calumnias, e adxectivos rac...
Poderá haver um modesto aumento do PIB no 4º trimestre de 2009 ou no 1º trimestre de 2010. Será a marca do fim da actual recessão que dura há 20 meses, mas não o fim da crise. O aumento do crescimento não significa que os problemas acabaram ou que a economia está em vias de recuperação. Significa apenas que o estímulo fiscal dos 787 mil milhões de dólares de Obama está a começar a...
24/7/2009 Altamiro Borges
20090724_honduras.cartaz.cardenal.jpg
O golpe militar em Honduras relembra o triste papel da Igreja Católica na defesa dos privilégios dos ricaços na América Latina. Nas décadas de 1960/1970, a sua alta hierarquia organizou as marchas com “Deus, pela família e pela propriedade”, preparando o clima para a derrubada de presidentes nacionalistas. Com seu discurso anticomunista, ela deu apoio ostensivo a sanguinárias ditaduras...
cig.prensa@galizacig.com