Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
América Latina despois de Panamá
16/04/2015Juan Manuel Karg
Aínda que Obama logrou a foto que quería xunto a Raúl Castro, e aproveitou os días previos para se reunir cos países do Caribe nucleados en Car...
Algumas notas sobre o TTIP (Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento UE-EUA)
16/04/2015João Ferreira
O TTIP comporta sérias ameaças ao emprego – levando a uma corrida ao fundo no plano dos direitos, salários e condições de trabalho. Sublinhe-...
Eric Toussaint: “A débeda ilexítima non se debe pagar”
16/04/2015
 Eric Toussaint, Coordinador da comisión do Parlamento de Grecia para a auditoría da Débeda, e Adolfo Muñoz "Txiki", secretario xeral de EL...
Israel prepara a guerra
13/04/2015Immanuel Wallerstein
O primeiro-ministro de Israel, Benyamin Netanyahu alcançou uma expressiva vitória eleitoral em Israel, em 17 de março. Conseguiu isso fazendo doi...
A historia endexamais contada da integración europea
13/04/2015Héctor Illueca Ballester
A verdadeira disxuntiva consiste en saír do euro e recuperar a soberanía ou afrontar unha lenta pero inexorábel transición cara ao subdesenvolve...
Caos
10/04/2015Jorge Cadima
O conceito de imperialismo
07/04/2015Prabhat Patnaik
Alvos de guerra
07/04/2015Max Altman
Defendamos a Venezuela em perigo
30/03/2015Guillermo Almeyra
Opinión
27/2/2015 Richard Seymour // Esquerda
As classes dominantes da UE também “ganharam tempo”, e elas dispõem dos recursos e estão ao ataque, enquanto o Syriza recuou. Não há motivo para achar que daqui a quatro meses a posição do Syriza será melhor que a que tem agora  O Syriza foi derrotado na primeira ronda de negociações. Após um período de provocação divertida, em que ganharam o apoio da esmagadora maioria do ...
Quanto à privatização, o que não é habitualmente percebido é que se supunha que as receitas da privatização fossem utilizadas para reembolsar a factura da dívida e não para reforçar receitas e o excedente primário. A liderança do Syriza concordou em permitir as privatizações existentes  O que acontecerá às finanças públicas e à economia da Grécia durante os próximos qua...
27/2/2015 Altamiro Borges
20150227_Maduro.Dilma.Cristina
Os três países têm vários traços em comum. Em todos eles, a direita partidária sofreu duras derrotas eleitorais nos últimos anos. Forças contrárias ao neoliberalismo, com suas nuances e ritmos diferenciados, chegaram ao governo – e não ao poder  Diante desta onda reacionária, os governantes dos três países (Argentina, Venezuela e Brasil) são chamados a enfrentar a “guerra d...
A experiência demonstra que os movimentos de esquerda podem chegar ao governo mas não chegam a conquistar o poder. A democracia ou seja o exercício do poder pelo povo e para o povo, requer muito mais.  Hoje o problema coloca-se na Grécia com Syriza e no futuro surgirá na Espanha com o Podemos, se estes movimentos ganhassem as eleições gerais de finais de 2015. O problema colocou-se t...
26/2/2015 Luís Carapinha // Avante
A vida tornou-se hoje infinitamente mais difícil para a esmagadora maioria dos ucranianos, um ano após a consumação do golpe de Estado de 21-22 de Fevereiro de 2014.  A usurpação do poder pelos sectores mais reaccionários e aventureiristas do grande capital ucraniano não só significou a instalação de um Estado anti-democrático e repressivo no país, com a censura, o livre arbít...
24/2/2015 Ekaitz Cancela // Diagonal
O novo Tratado de Libre Comercio será un novo éxito para afianzar o sistema establecido. Un logro das multinacionais, que lonxe de se conformaren cos millonarios beneficios que cada ano duplican os de anos anteriores buscan que o seu poder non teña volta atrás  É tan obvio que mesmo semella ofensivo dicilo, mais o Tratado de Libre Comercio (TTIP) que negocian en segredo Estados Unidos e...
cig.prensa@galizacig.com