Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
O golpe de Estado de 2016 no Brasil
19/05/2016Michael Löwy
A prática do golpe de Estado legal parece ser a nova estratégia das oligarquias latino-americanas. Testada em Honduras e no Paraguai (países que ...
Grécia – a tragédia que continua
19/05/2016João Ferreira
A Grécia é também a mais viva demonstração da indispensabilidade de preparar um país que queira crescer e desenvolver-se, que queira concretiz...
Brasil: O papel da política externa na restauração do neoliberalismo tardio
19/05/2016Marcelo Zero
A política externa e a forma de inserção no cenário mundial podem contribuir fortemente para tornar o Brasil, de novo, um país periférico, dei...
Brasil: A volta da classe do privilégio
18/05/2016Leonardo Boff
O atual processo de impeachment à presidenta Dilma se inscreve dentro deste quadro golpista  pois se trata de tirá-la do poder não por via ...
TTIP: A “OTAN económica”
18/05/2016Manlio Dinucci
A negociação do TTIP insere-a na tentativa geoestratégica estadounidense de resistir ao declínio do seu domínio mundial. O objetivo dos EUA, a ...
Estado español: Volven as turbulencias
13/05/2016Albert Recio Andreu
Os papéis do Panamá e Portugal
09/05/2016Agostinho Lopes
Opinión
20160412_paraisos.fiscais.jpg
Os paraísos fiscais teñen un rol central no universo das finanzas sucias, isto é, dos capitais orixinados en actividades ilícitas e criminais. Mafias e políticos corruptos son clientes asiduos deses territorios  Cada vez que se revelan datos sobre os chamados paraísos fiscais, aparece o pánico en amplos medios económicos que se valen dese expediente. Canalizan as súas riquezas para ...
Contrariamente às aparências, a campanha dos «Papéis do Panamá» não terá por consequência restringir os desvios financeiros peculato e aumentar as liberdades, mas, exactamente o contrário. O sistema irá contrair-se um pouco mais em torno do Reino Unido, da Holanda, dos Estados Unidos e de Israel, de tal modo que eles, e só eles, terão o seu contrôlo. A estratégia económica dos Es...
20160412_americalatina.jpg
Os Estados Unidos desenvolvem uma estratégia de reconquista da América Latina, aplicando-a de maneira sistemática e flexível. O golpe brando nas Honduras foi o pontapé inicial, ao qual seguiu-se o golpe no Paraguai e um conjunto de acções desestabilizadora, algumas muito agressivas, de êxitos diversificados que avançaram ao ritmo das urgências imperiais e do desgaste dos governos progres...
6/4/2016 Emir Sader // Vermelho
20160406_mobilizacion.america.latina.afiCHE.jpg
Os governos progressistas promoveram os direitos da grande massa da população que havia estado sempre marginalizada, discriminada, excluída. É uma experiência inesquecível para eles e traumática para os que queriam que ficassem sempre na situação de excluídos  Se falava de restauração conservadora para designar o projeto de contraofensiva da direita na América Latina. Uma expres...
5/4/2016 Vidal Aragonés
O autodefinido precariado non é unha clase, nin sequera unha capa dentro dunha clase. Mesturar nunha soa e pretendida nova clase dous sectores separados social e economicamente como son a pequena burguesía e o proletariado constitúe un erro escolástico Recentemente La Directa e Crític publicaban moi boas entrevistas (outra cousa son as respostas...) con Guy Standing, autor, entre outros, d...
5/4/2016 Diego Pautasso // Vermelho
O golpe moderniza-se, substituindo a arma pelo argumento pseudo-jurídico e sua aparente neutralidade. Os endinheirados, que controlam a riqueza, o poder e instrumentalizam a mídia, mobilizam seus recursos para evitar regimes reformistas aproveitando-se da fragilidade institucional  Os processos históricos não são dados a coincidências. E como diria o velho filósofo, os grandes persona...
cig.prensa@galizacig.com