Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
 
Artigos de opinión
Grécia: Syriza enfrenta decisões difíceis
26/01/2015Dimitris Belladis
Syriza pode se tornar uma força de contestação antineoliberal e anticapitalista, embora infelizmente esta coalizão também possa ser a base de u...
A União Europeia não existe
21/01/2015Vaz de Carvalho
A UE não existe, o que existe é um problema, uma guerra de classe contra os povos sob a designação de UE. Que democracia, que vontade do povo se...
A estratégia da tensão de dois terrorismos: o jihadista e o imperialista
21/01/2015Achille Lollo
O ataque ao semanário Charlie Hebdo alimenta uma dúplice estratégia da tensão, onde, por um lado, as células jihadistas exploram o degrado e o ...
Ucrânia e fascismo
15/01/2015Inês Zuber
A população do Donbass e os patriotas ucranianos que resistem à fascização da Ucrânia – vulgarmente conhecidos nos media dominantes por «te...
Charlie Hebdo: Uma reflexão difícil
14/01/2015Boaventura de Sousa Santos
Não estamos perante um choque de civilizações, até porque a cristã tem as mesmas raízes que a islâmica. Estamos perante um choque de fanatism...
Atalhos
14/01/2015Tariq Ali
A lógica que há por trás
09/01/2015Martín Granovsky
Consellería de Industria
19/10/2011 A Sección Sindical da central en Navantia cualifica de acto electoralista o encontro con Javier Guerra, que se limitou a confirmar a viabilidade da infraestrutura “un feito que o persoal sabe dende hai meses”
Traballadores e traballadoras de Navantia e das industrias auxiliares continuaron este mércores co calendario de mobilizacións para esixir a construción do dique flotante e carga de traballo para os estaleiros da ría de Ferrol. Logo das numerosas e exitosas mobilizacións, o conselleiro de Industria, Javier Guerra, achegábase até o Concello ferrolán para presentar á representación social estudos sobre a viabilidade do dique, nun encontro que dende a Sección Sindical da CIG cualificaron de “puro acto electoralista”.
4/3/2008 O cadro de persoal parará todos os mércores en sinal de protesta
Por volta de 300 persoas saíron ás rúas de Guitiriz o pasado 1 de marzo para expresar o seu apoio e esixir a readmisión dos 30 despedidos da empresa Ingemarga. Ao mesmo tempo que se desenvolvía a marcha, os comercios da vila pecharon en solidariedade cos empregados represaliados
5/1/2008 É indecente que UGT e CCOO pretendan arrogarse méritos cando son responsábeis de que os mineiros fiquen excluídos do Miner II
Os avances producidos no conflito das auxiliares de Meirama, como o mantemento dos postos de traballo dos mineiros durante seis meses máis desde o peche do xacemento, ocorrido o pasado 31 de decembro, débense á capacidade de mobilización que amosaron os operarios. A última convocatoria de folga serviu para forzar a Masa, Soluziona e Fergo a garantir o traballo na mina até o próximo verán.
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com