Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
Grécia: Syriza enfrenta decisões difíceis
26/01/2015Dimitris Belladis
Syriza pode se tornar uma força de contestação antineoliberal e anticapitalista, embora infelizmente esta coalizão também possa ser a base de u...
A União Europeia não existe
21/01/2015Vaz de Carvalho
A UE não existe, o que existe é um problema, uma guerra de classe contra os povos sob a designação de UE. Que democracia, que vontade do povo se...
A estratégia da tensão de dois terrorismos: o jihadista e o imperialista
21/01/2015Achille Lollo
O ataque ao semanário Charlie Hebdo alimenta uma dúplice estratégia da tensão, onde, por um lado, as células jihadistas exploram o degrado e o ...
Ucrânia e fascismo
15/01/2015Inês Zuber
A população do Donbass e os patriotas ucranianos que resistem à fascização da Ucrânia – vulgarmente conhecidos nos media dominantes por «te...
Charlie Hebdo: Uma reflexão difícil
14/01/2015Boaventura de Sousa Santos
Não estamos perante um choque de civilizações, até porque a cristã tem as mesmas raízes que a islâmica. Estamos perante um choque de fanatism...
Atalhos
14/01/2015Tariq Ali
A lógica que há por trás
09/01/2015Martín Granovsky
economía
A autonomía dos bancos centrais, imposta durante a década de 1990 polo capitalismo neoliberal, vinculou de xeito decisivo o apoio estatal á moeda ás esixencias da acumulación. Porén, a crise de 2008 marcou un punto de creba no curso da economía mundial.  Malia os programas de estímulos monetarios e fiscais, Estados Unidos, China, Xapón, Alemaña e Francia (as cinco maiores economí...
17/12/2014 Albert Recio Andreu
Nas economías capitalistas sempre que existe estancamento económico se traduce en paro masivo, expansión da pobreza e variedade de sufrimentos humanos. A persistencia do caso xaponés (e a teima alemá en copiar deles) indica que estamos ante unha situación que devén endémica  I  Xapón viuse moitas veces como un modelo de capitalismo particular. A finais dos 80 as cousas que má...
A razão porque a classe média (ou a pequena burguesia) nunca poderá adquirir hegemonia é porque lhe falta agenda económica coerente. Ela pode ter no melhor dos casos um desejo nostálgico de alguma forma passada de organização social, mas nenhuma agenda concreta para o futuro  Actualmente o mundo está a assistir a um fenómeno um tanto raro, nomeadamente uma tendência difusa de leva...
21/11/2014 Éric Toussaint // CADTM
A visão do Banco Mundial está marcada por diferentes preconceitos conservadores. Nos relatórios e discursos dos quinze primeiros anos de existência, o BM faz referência regularmente às regiões atrasadas e subdesenvolvidas, configurando todo um programa. Sobre as causas do subdesenvolvimento, o banco adota uma visão etnocêntrica  O Banco Mundial considera que os países em desenvolvi...
O Estado neoliberal, ou o Estado na era da hegemonia do capital financeiro internacional, é cada vez mais moldado de uma maneira que restringe a "soberania popular" de todos os modos concebíveis. Sua tendência essencial é para reduzir a democracia e estabelecer a hegemonia irrestrita da oligarquia corporativo-financeira  A mudança da natureza do Estado sob o neoliberalismo tem sido muit...
17/11/2014 Amy Goodman // Esquerda
As eleições nos Estados Unidos dependem mais do dinheiro do que de qualquer outra coisa. No entanto, a história não é feita de dinheiro mas de movimentos. E o movimento pelo aumento do salário mínimo impôs-se, mesmo em alguns dos estados mais conservadores.  As eleições nos Estados Unidos dependem mais do dinheiro do que de qualquer outra coisa; de muito dinheiro, que provém cada ...
20141020_neoliberalismo.faixa.jpg
O neoliberalismo do século XX foi uma tragédia. Um neoliberalismo do século XXI seria uma nova tragédia e uma farsa. O neoliberalismo surgiu com o diagnóstico de que a economia capitalista deixava de crescer por excesso de regulamentações. “O Estado não é uma solução, é o problema”, não se cansou de proclamar Ronald Reagan. O que seria problema no Estado seria o excesso de limit...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com