Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
Entrevista com Noam Chomsky: “Há uma resistência muito significativa contra o assalto neoliberal”
03/03/2015Miguel Mora
A Europa é hoje uma das maiores vítimas dessas políticas económicas de loucos, que somam austeridade à recessão. Até o FMI diz que já não f...
Tentativa golpista contra Venezuela
03/03/2015Ignacio Ramonet
Esta vez, o golpe íase a executar en catro fases. A primeira comezou a principios do mes de xaneiro de 2015, cando o presidente Maduro realizaba un...
Acerca de negociações: lições do caso Syriza
02/03/2015Vaz de Carvalho
A UE tem os povos presos nas grilhetas do endividamento e do euro. Esta situação só será alterada pela resistência popular. O caso grego mostro...
Venezuela: Estados Unidos acelera o golpe
27/02/2015Ángel Guerra Cabrera
O golpismo intensificouse sobre todo a partir da elección do presidente Maduro en abril de 2013. Washington e as oligarquías decidiron botar toda ...
A goleada sofrida pelo Syriza nas negociações da UE
27/02/2015Richard Seymour
As classes dominantes da UE também “ganharam tempo”, e elas dispõem dos recursos e estão ao ataque, enquanto o Syriza recuou. Não há motivo...
Grécia: os próximos quatro meses
27/02/2015Michael Roberts
Syriza, uma via para o poder do povo?
26/02/2015Éric Toussaint
Ucrânia, um ano depois do golpe
26/02/2015Luís Carapinha
economía
20140804_arxentina.fondos-abutres.jpg
Os fundos abutre são o exemplo mais radical do caráter parasitário do capital especulativo, típico da era neoliberal. Nesse caso, se valeram da crise da dívida dos países latino-americanos nos anos 1980 para impor normas draconianas a governos subalternos, parte fundamental da herança maldita recebida pelos governos antineoliberais. Quando se esgotava o ciclo longo expansivo do capitalis...
17/6/2014 Éric Toussaint // CADTM
Repartir de outra maneira a riqueza produzida constitui a melhor resposta à crise. A parte destinada aos assalariados nas riquezas produzidas baixou nitidamente ao longo dos últimos decénios, ao mesmo tempo que os credores e as empresas aumentaram os seus lucros para os consagrarem à especulação. Aumentando os salários, não somente se permite às populações viverem condignamente, mas tam...
En Italia, a introdución de novas formas contractuais a partir dos 90 creou un dualismo problemático: por unha banda, os convenios baseados no Estatuto dos Traballadores de 1969 poñen límites estritos ao despedimento; por outro, produciuse unha marea de contratos lixo, cuxas vítimas son sobre todo a xente nova. A reforma que está a piques de caer sobre o mercado laboral de Italia ten un n...
11/6/2014 Vicenç Navarro
Un fenómeno novo e masivo das economías aos dous lados do Atlántico Norte é o crecemento dunha proporción da poboación empregada que nunca ten un traballo fixo: sempre está traballando en situación moi temporal, pasando dun empregador a outro, sen nin sequera traballar para unha mesma empresa que cubra, por exemplo, a súa Seguridade Social Unha das constantes ladaíñas do pensamento neo...
Os documentos da troika são insultos à dignidade do país e do seu povo. As políticas da troika são o programa das políticas de direita: Portugal ser um país cada vez mais subdesenvolvido. Os próprios avanços tecnológicos em certas atividades, subsistem na base com baixos salários e precariedade. Mesmo isto a troika acha que é demais. Se os povos da Europa não se levantarem, os bancos ...
Nos países desenvolvidos, a fin do consumismo compulsivo imperante na pasada década, provocado polas taxas de paro galopantes e a perda do poder adquisitivo dos traballadores unido á deterioración progresivo das condicións laborais, provocará frecuentes rebentos de conflitividade laboral e agudización da fractura social. O fenómeno da globalización económica conseguiu que todos os eleme...
30/4/2014 Fernando Luengo
As retribucións dos traballadores quedaron descolgadas dos avances na produtividade moito antes de que se producise a crise, fenda que se acentuou nestes últimos anos e que, dada a relación de forzas, cada vez máis favorábel aos intereses dos capitais, as elites políticas e as oligarquías económicas, podería converterse nun trazo estrutural da economía do Estado español. Cómpre que a ...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com