Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
A era das guerras imperiais (Das guerras regionais, às "mudança de regime" e à guerra global)
31/08/2015James Petras
Milhões de refugiados de guerra escapam rumo à segurança na Europa Ocidental, juntando-se aos milhões de refugiados económicos que fugiram da p...
UE/Euro: Prisão de povos
17/07/2015Jorge Cadima
Os acontecimentos dos últimos dias são portadores de importantíssimos ensinamentos sobre a verdadeira natureza da dominação de classe, do imper...
A operação em curso – nome de código: Grécia
10/07/2015Vaz de Carvalho
Contrariamente às ilusões europeístas o sistema é incapaz de resolver os problemas provocados pela financeirização da economia a favor do rent...
Aprofundamento da União Económica e Monetária Europeia – ensaio sobre a cegueira
10/07/2015Miguel Viegas
Em traços gerais, este relatório dos cinco presidentes aponta para o reforço dos pilares neoliberal e federalista da UE. Podando o discurso dos h...
Grécia – a força do povo
10/07/2015Ângelo Alves
O povo grego emitiu uma opinião muito «simples» e clara. Quer mandar no seu próprio devir colectivo. Entende que o seu país é o seu povo e nã...
Uma guerra de classe
10/07/2015Filipe Diniz
O caldeirão grego
03/07/2015Luís Carapinha
Ucrânia, o fascismo galopante
25/06/2015Raúl Antonio Capote
economía
O domínio dos EUA sobre o sistema mundial e, mais particularmente, sobre os países subdesenvolvidos é realizado através do capital, tanto em sua forma produtiva, através da implantação de empresas estrangeiras, da associação de empresas nacionais com multinacionais, como em sua forma dinheiro e de capital fictício. Na esteira da crise detonada na esfera financeira dos Estados Unidos (EU...
6/8/2014 Isidro López // Diagonal
En termos políticos, en ausencia de crecemento, o que queda é a desposesión permanente, o saqueo institucionalizado da riqueza social para poñela ao servizo das elites económicas. Os políticos de medio mundo, nomeadamente dos países centrais, perden totalmente o sentido da situación en que está a economía global para anunciar a recuperación aos catro ventos, no mellor estilo chamaníst...
20140804_arxentina.fondos-abutres.jpg
Os fundos abutre são o exemplo mais radical do caráter parasitário do capital especulativo, típico da era neoliberal. Nesse caso, se valeram da crise da dívida dos países latino-americanos nos anos 1980 para impor normas draconianas a governos subalternos, parte fundamental da herança maldita recebida pelos governos antineoliberais. Quando se esgotava o ciclo longo expansivo do capitalis...
17/6/2014 Éric Toussaint // CADTM
Repartir de outra maneira a riqueza produzida constitui a melhor resposta à crise. A parte destinada aos assalariados nas riquezas produzidas baixou nitidamente ao longo dos últimos decénios, ao mesmo tempo que os credores e as empresas aumentaram os seus lucros para os consagrarem à especulação. Aumentando os salários, não somente se permite às populações viverem condignamente, mas tam...
En Italia, a introdución de novas formas contractuais a partir dos 90 creou un dualismo problemático: por unha banda, os convenios baseados no Estatuto dos Traballadores de 1969 poñen límites estritos ao despedimento; por outro, produciuse unha marea de contratos lixo, cuxas vítimas son sobre todo a xente nova. A reforma que está a piques de caer sobre o mercado laboral de Italia ten un n...
11/6/2014 Vicenç Navarro
Un fenómeno novo e masivo das economías aos dous lados do Atlántico Norte é o crecemento dunha proporción da poboación empregada que nunca ten un traballo fixo: sempre está traballando en situación moi temporal, pasando dun empregador a outro, sen nin sequera traballar para unha mesma empresa que cubra, por exemplo, a súa Seguridade Social Unha das constantes ladaíñas do pensamento neo...
Os documentos da troika são insultos à dignidade do país e do seu povo. As políticas da troika são o programa das políticas de direita: Portugal ser um país cada vez mais subdesenvolvido. Os próprios avanços tecnológicos em certas atividades, subsistem na base com baixos salários e precariedade. Mesmo isto a troika acha que é demais. Se os povos da Europa não se levantarem, os bancos ...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com