Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
EUA: Guerra ao EI é cortina de fumaça para guerra contra Síria e Irã
22/10/2014Mahdi Darius Nazemroaya
A chamada “ameaça” do Estado Islâmico no Iraque e Levante, ou Estado Islâmico (EI) é cortina de fumaça. A força do EI foi deliberadamente...
Neoliberalismo século XXI?
21/10/2014Emir Sader
O neoliberalismo do século XX foi uma tragédia. Um neoliberalismo do século XXI seria uma nova tragédia e uma farsa. O neoliberalismo surgiu...
Orzamentos do Estado 2015
16/10/2014María do Carme García-Negro
‘Outra vaca no millo’: resumo coloquial dun orzamento que profunda na traxectoria da acción pública que foi parte activa da crise económica....
Portugal: Sair do Euro para recuperar a soberania e desenvolver o país
14/10/2014Octávio Teixeira
Só com a libertação do jugo do Euro será possível implementar uma efectiva alternativa de esquerda. Sob a ditadura do Euro, objectivamente, a ...
A terceira guerra de Iraq
14/10/2014Ignacio Ramonet
Como as dúas precedentes, e tras case vinte e cinco anos de enfrontamentos, esta nova guerra non conseguirá o seu obxectivo. Primeiro porque nunc...
Brasil: A luta continua
10/10/2014Albano Nunes
A «receita» para o ébola
10/10/2014Maurício Miguel
crise
20141020_neoliberalismo.faixa.jpg
O neoliberalismo do século XX foi uma tragédia. Um neoliberalismo do século XXI seria uma nova tragédia e uma farsa. O neoliberalismo surgiu com o diagnóstico de que a economia capitalista deixava de crescer por excesso de regulamentações. “O Estado não é uma solução, é o problema”, não se cansou de proclamar Ronald Reagan. O que seria problema no Estado seria o excesso de limit...
20141016_OXE.2015.jpg
‘Outra vaca no millo’: resumo coloquial dun orzamento que profunda na traxectoria da acción pública que foi parte activa da crise económica. O Estado pode ser modulador, e mesmo en parte compensador, da dirección que siga a actividade económica privada, cumprindo o necesario rol de equilibrador das tendencias viciosas do sistema capitalista. Levando esta aseveración ao límite (e para u...
Só com a libertação do jugo do Euro será possível implementar uma efectiva alternativa de esquerda. Sob a ditadura do Euro, objectivamente, a "alternativa" cinge-se a um pouco mais de sensibilidade social na governação. Mas não permite a implementação de uma política macroeconómica de ruptura com o neoliberalismo, de desenvolvimento, de progresso social, de valorização do trabalho e ...
10/10/2014 Michel Husson
A crise fixo estourar esta configuración fundamentalmente inestábel e deixa as sociedades enlamadas nunha recesión crónica que vai acompañada do mantemento ou do profudamento das desigualdades, do enquistamento do paro masivo e do efecto corrosivo das chamadas reformas estruturais Definir no contexto actual o que podería ser unha política económica de esquerda é un exercicio tan perigos...
O desemprego masivo sempre é unha situación favorábel á perda de dereitos laborais. E agora esta perda exprésase tanto no comportamento individual das empresas como na introdución de novas reformas laborais cuxos obxectivos, e os primeiros efectos visíbeis, son claramente afondar na individualización da relación laboral, a fragmentación (ou directamente eliminación) da negociación cole...
8/10/2014 João Ferreira // Avante
A saída do euro é necessária para libertar o País da subalternidade, da dependência e do atraso. É necessária para libertar o povo português da «austeridade» permanente. Mas deve ter condições: a preparação do País; o respeito pela vontade popular, a condução do processo por um governo empenhado em defender os rendimentos, as poupanças, os níveis de vida e os direitos da general...
8/10/2014 António Santos // Avante
Como em Detroit ou Ferguson, é cada vez mais difícil cumprir os interesses do capital sem recorrer à violência nem suspender os formalismos da democracia burguesa. As cidades dos EUA convertem-se proporcionalmente em versões microscópicas da política externa norte-americana À medida que a bancarrota de Detroit entra nos últimos trâmites legais, a classe operária da cidade afunda-se nu...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com