Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
Grécia: Por que se deve realizar uma auditoria da dívida?
25/03/2015Éric Toussaint
A auditoria demonstrará que uma parte muito grande da dívida grega contraída tanto no período precedente à intervenção da Troika como no post...
Por trás das sanções da Casa Branca contra a Venezuela
25/03/2015Mark Weisbrot
Os governos latino-americanos compreenderam esta estratégia de impor novas sanções à Venezuela vista como uma grave ameaça à democracia na reg...
Dez claves para entender a “lex mercatoria”
25/03/2015Juan Hernández Zubizarreta e Pedro Ramiro
A oposición frontal das grandes potencias e dos lobbies transnacionais á creación de normas que poidan poñer en risco as súas perspectivas de n...
A pobreza em Portugal
25/03/2015Maria do Carmo Tavares
A pobreza em Portugal sempre assumiu grande extensão e intensidade, a ela estão associadas profundas desigualdades sociais, acumulação de riquez...
O capitalismo no país das maravilhas
23/03/2015António Santos
Há actualmente 15 milhões de crianças com fome nos EUA. Destas, 1,5 milhões não tem casa. Com efeito, na lista de países que melhor protegem a...
Brasil na encruzilhada
23/03/2015Luís Carapinha
Pensar as crises
11/03/2015Antoine Casanova e Remy Herrera
Grecia: Saír do euro ou suicidio político
09/03/2015Héctor Illueca Ballester
crise
A pobreza em Portugal sempre assumiu grande extensão e intensidade, a ela estão associadas profundas desigualdades sociais, acumulação de riqueza, o que tem levado a uma má distribuição de recursos materiais, culturais e sociais que permitam às pessoas aceder às condições mínimas da sociedade.  As políticas neoliberais que inspiraram a vida económica nas últimas décadas acent...
23/3/2015 Luís Carapinha // Avante
O imperialismo joga forte na desestabilização do Brasil. Não esquece o papel desempenhado por Brasília na dinâmica dos BRICS e no processo de integração latino-americana, como é o caso saliente da CELAC, que desafiam a sua hegemonia  A barragem de desinformação em torno do Brasil regressou ao apogeu nestes dias. Escassos meses após a reeleição de Dilma Rousseff, a grande burgues...
Os piores efeitos da crise actual são suportados pelas fracções mais pobres das classes populares, com os danos alargados e profundos, compreendendo ao Norte, desemprego, pobreza, miséria generalizada, sofrimento no trabalho (quando ele existe) A crise actual como crise sistémica  O momento histórico que atravessamos é frequentemente encarado como uma crise financeira que contaminari...
Quanto à privatização, o que não é habitualmente percebido é que se supunha que as receitas da privatização fossem utilizadas para reembolsar a factura da dívida e não para reforçar receitas e o excedente primário. A liderança do Syriza concordou em permitir as privatizações existentes  O que acontecerá às finanças públicas e à economia da Grécia durante os próximos qua...
A oligarquia capitalista europeia – os Junker, Merkel, Draghi –, com a anuência frouxa dos chamados sociais-democratas – Sigmar Gabriel, François Hollande –, decidiram declarar guerra (financeira) contra o povo grego  Pela primeira vez em sua história, a Grécia tem um governo “vermelho” (não rosa-bombom), um governo dirigido pelo Syriza (Synaspismos tis Rizospastikis Arister...
16/2/2015 Alejandro Nadal
Hoxe a clase traballadora en Europa enfróntase a un escenario desfavorábel: os bancos alemáns, franceses, holandeses e ingleses teñen grandes necesidades de recapitalización e iso necesitará de apoio público, é dicir, dunha masiva transferencia de recursos das clases medias e traballadoras do continente cara ao sector financeiro  En 1941 a Wehrmacht nazi aniquilou nunhas cantas seman...
O único e grande triunfo dos EUA e da Arábia Saudita nessa história até o momento foi transformar a OPEP em espectro do que foi entre 1960 e 1990, e não apenas porque sua cota de mercado caiu de 62% para os 30% de hoje, mas porque a Arábia, o Kuwait e os Emirados Árabes Unidos fizeram uma frente contra pesos pesados da organização, tais como Irã, Iraque, Argélia, Venezuela e Equador &n...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com