Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
As falacias da OCDE sobre política fiscal, salarios e competitividade
22/09/2014Eduardo Garzón Espinosa
O de que os salarios creceron máis que a produtividade só é certo se se fan trampas cos indicadores, deflactando a produtividade e non os prezos...
O tratado de comércio livre EUA-UE: a grande golpada
22/09/2014Vaz de Carvalho
O tratado representa o culminar do processo neoliberal imposto aos povos, ficando a sua soberania à mercê dos interesses grande capital. Este, se...
O começo do fim da globalização
22/09/2014Antonio Luiz M. C. Costa
A escalada de hostilidade e sanções mútuas entre a Otan e a Rússia por causa da guerra civil na Ucrânia não é o retorno da Guerra Fria. Mas ...
TTIP, UE e EUA: Golpe transnacional contra a soberanía popular
19/09/2014Gonzalo Fernández Ortiz de Zárate e Juan Hernández Zubizarreta
O TTIP vai alterar as regras de xogo que coñecemos en Europa, xerando unha estrutura político-xurídica que entroniza definitivamente o ánimo de...
O Califado contra o resto do mundo
19/09/2014Immanuel Wallerstein
A menos que o Califado desmorone no futuro próximo (o que parece muito improvável), este esforço militar irá em breve expor uma vez mais os lim...
A luta pela paz
19/09/2014Ilda Figueiredo
Escócia: A economia e a independência
17/09/2014James Foley e Pete Ramand
capitalismo
O BCE está organizado para os Estados vergarem a sua soberania ao peso da dívida, constituindo uma reserva de mão-de-obra barata e sem reivindicações significativas de forma a garantirem a competitividade da UE no processo de “globalização” imperialista. O endividamento do Estado é um alibi para impor esta estratégia assegurando a perpétua obtenção de rendas financeiras, através d...
4/10/2013 António Santos // Avante
Desde 2008 que o governo dos EUA destinou de mais de 700 mil milhões de dólares ao resgate dos maiores bancos e empresas. Ao mesmo tempo, impingia cortes draconianos aos subsídios de alimentação, saúde e reforma. Mas nem assim a mão invisível de Smith se moveu e a economia não exibiu os sinais de recuperação previstos.  Depois de duas semanas de celeuma e farsa no Congresso, a câ...
A crise sistémica mundial veio adicionar mais um ingrediente fundamental para a política agressiva do imperialismo. Desesperado diante da dramática situação económica, da recessão, do desemprego crónico e dos protestos que estão ocorrendo pelo mundo contra a os ajustes determinados pelo capital, o governo norte-americano vem realizando provocações contínuas contra o Irã, a Coreia do N...
18/9/2013 Vicenç Navarro // Rebelión
Hoxe a polarización social, coa enorme concentración do poder financeiro e económico, redefiniu a loita de clases, creándose unha alianza de clases (a clase traballadora con compoñentes da clase media, que constitúen as clases populares) fronte a unha minoría que inclúe os membros das elites económicas e financeiras, aliadas ás elites dos partidos dominantes e maiores medios de informaci...
10/9/2013 Juan Torres López
As últimas guerras de Iraq ou Afganistan ou as que a menor escala se desenvolven noutros lugares do mundo teñen a súa orixe, cada vez con menos disimulo, en intereses económicos. Pero, ademais diso, o que ocorre no capitalismo é que a guerra e o gasto militar non só serven a intereses económicos senón que se converteron nun interese económico en si mesmos.  Moita xente identifica o ...
6/9/2013 Samir Amin // Rebelión
20130906_China.2013_01.jpg
China non seguiu un camiño particular só desde 1980, senón desde 1950, aínda que este camiño pasou a través de fases que son diferentes en moitos aspectos. China desenvolveu un proxecto coherente e soberano que é apropiado para as súas propias necesidades. Ese proxecto certamente non é o capitalismo, cuxa lóxica esixe que as terras agrícolas se traten como unha mercadoría. Este proxect...
20130718_protesta-bulgaria.jpg
Estamos no meio de uma transição estrutural: de uma economia mundial capitalista que está se esgotando para um novo tipo de sistema. Mas ele pode ser melhor ou pior. Essa é a batalha real dos próximos vinte a quarenta anos. E a posição a assumir aqui, ali e em qualquer lugar deve ser decidida em função desta grande batalha política mundial.  O levante, agora persistente, na Turquia...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com