Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
A luta pela independência na Escócia não terminou apesar do voto do medo
29/09/2014Tariq Ali
O medo conduz à passividade e ainda que neste caso os unionistas tenham conseguido meter medo no voto, talvez não sejam capazes de voltar a fazê...
Como enfrentar os fundos abutres e o imperialismo financeiro
29/09/2014Éric Toussaint
Eric Toussaint A dívida já que se converte, novamente, em um poderoso instrumento de subordinação dos povos da América Latina. Que será...
A austeridade neoliberal ameaza con máis sufrimento
29/09/2014Albert Recio Andreu
Seguimos baixo o dominio dunhas políticas deseñadas para garantir unha distribución da renda extraordinariamente favorábel ás grandes elites e...
EUA: Um estado inimigo da Humanidade
26/09/2014Miguel Urbano Rodrigues
A contra-ofensiva imperialista iniciada logo após o final da II Guerra Mundial intensificou-se na década de 80 do século passado e atingiu dimen...
Geopolítica do petróleo e gás natural
26/09/2014Rui Namorado Rosa
A energia, colocando severos problemas técnicos quanto ao seu armazenamento em larga escala, carece de vastas infra-estruturas de transporte e dis...
“Caos Controlado”
26/09/2014Ângelo Alves
Analogias entre Jugoslávia e Ucrânia
24/09/2014Stephen Karganovic
O triunfo cultural do neoliberalismo
24/09/2014Marcos Roitman Rosenmann
Unión Europea
A natureza de classe da União Europeia é cada vez mais evidente. Sendo um processo histórico de resposta do capitalismo europeu às crises cíclicas que atravessa e um elemento da concertação/rivalidade do capital ao nível europeu, estamos perante um instrumento de classe efectivo na ofensiva contra o trabalho, que cria constrangimentos à luta dos trabalhadores e dos povos. Um instrumento c...
A União Europeia é um barco à deriva no qual não há acordo sequer sobre o tipo de salva-vidas a usar em caso de naufrágio. Na reunião dos ministros de finanças europeus, em Dublin, ficou claro que Chipre terá que se virar como puder com sua crise e que o esforço se concentrará em evitar o contágio sem que se avance um centímetro na questão central do problema: o crescimento econômic...
12/3/2013 Éric Toussaint // CADTM
O patronato que orienta as ações dos governos quer levar a cabo a maior ofensiva à escala europeia contra os direitos económicos e sociais conquistados após a Segunda Guerra Mundial. Desse ponto de vista, as políticas implementadas nos últimos anos foram bem sucedidas. Com as políticas de austeridade que aumentam o desemprego conseguiram aumentar ainda mais a precariedade dos trabalhadores...
Desde 2003 que a UE tem estado envolvida em missões militares em mais de 19 países de três continentes: Bósnia, Macedónia, Ucrânia, Moldóvia, Geórgia, Palestina, Kosovo, Guiné-Bissau, Somália, Sudão, Chade, República Central Africana, República Democrática do Congo, Uganda, Líbia, Iraque, Indonésia, Afeganistão e Mali.  Desde a sua origem que a UE foi, pelo menos em parte, u...
24/1/2013 Maurício Miguel // Avante
As contradições entre as principais potências da UE agudizam-se. O braço de ferro entre elas acentua-se. Neste período de aprofundamento da crise na e da UE, o processo de concertação e rivalidade entre elas eleva-se a um patamar superior. Os mais recentes desenvolvimentos na zona euro, o plano de «reforçar» a União Económica e Monetária (UEM) e a discussão sobre o quadro financeiro ...
10/1/2013 João Ferreira // Avante
Diz o Tratado – e quer a troika colaboracionista que passe a dizer também o ordenamento jurídico nacional – que quando a dívida pública ultrapassar os 60 por cento do PIB, o país fica obrigado a reduzi-la a uma taxa média de um vigésimo por ano. Pretende-se assim manter ou mesmo intensificar o processo de extorsão de recursos nacionais, garantindo a sua canalização para os detentores...
O endurecemento das condicións para pedir empréstitos e a vaga de leis europeas que prescriben as políticas neoliberais desencadearon un ataque sen precedentes no estado do benestar e a democracia en Europa. Pode a situación ir aínda a peor? Atendendo ás propostas de unión fiscal e maior integración económica, parece claramente que si.  Desde o estourido da crise en Europa en 2010, ...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com