Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
Grécia: Syriza enfrenta decisões difíceis
26/01/2015Dimitris Belladis
Syriza pode se tornar uma força de contestação antineoliberal e anticapitalista, embora infelizmente esta coalizão também possa ser a base de u...
A União Europeia não existe
21/01/2015Vaz de Carvalho
A UE não existe, o que existe é um problema, uma guerra de classe contra os povos sob a designação de UE. Que democracia, que vontade do povo se...
A estratégia da tensão de dois terrorismos: o jihadista e o imperialista
21/01/2015Achille Lollo
O ataque ao semanário Charlie Hebdo alimenta uma dúplice estratégia da tensão, onde, por um lado, as células jihadistas exploram o degrado e o ...
Ucrânia e fascismo
15/01/2015Inês Zuber
A população do Donbass e os patriotas ucranianos que resistem à fascização da Ucrânia – vulgarmente conhecidos nos media dominantes por «te...
Charlie Hebdo: Uma reflexão difícil
14/01/2015Boaventura de Sousa Santos
Não estamos perante um choque de civilizações, até porque a cristã tem as mesmas raízes que a islâmica. Estamos perante um choque de fanatism...
Atalhos
14/01/2015Tariq Ali
A lógica que há por trás
09/01/2015Martín Granovsky
crise económica
Máis de 80.000 millóns de coroas (uns 11.000 millóns de dólares) obtidos pola venda de empresas públicas esvaéronse en pouco máis dun ano, segundo se desprende do informe da Oficina Central da Débeda Pública de Suecia, que prevé un déficit fiscal para o 2009. Mentres, un terzo dos aforros das familias suecas se “fixeron fume” este ano no medio da crise financeira e o desaxuste econ...
Os dous últimos meses foron intensos en medidas de gran goberno. En intervención pública discrecional. Aquel tipo de intervención que os monetaristas satanizaron nos inicios da contrarrevolución neoliberal. Pero xa se sabe que unha cousa son os principios e outra as necesidades. Ningún liberal se escandalizou pola transferencia masiva de fondos ao capital financeiro, a salvación de ...
Só há uma solução: pôr fim ao retrocesso salarial, modificar a distribuição das riquezas: menos lucros, mais salários e investimentos sociais. A margem de manobra é considerável, já que os lucros distribuídos pelas sociedades não-financeiras representam, hoje, 12% de sua massa salarial, contra 4%, em 1982. Isso implica uma redução drástica de privilégios da pequena esfera social ...
20/11/2008 Umberto Martins // Vermelho
Reunida no último sábado (15) em Washington, a cúpula do G20, grupo composto pelas 20 maiores economias do mundo, sugeriu aos que governam o mundo um pacote de 47 medidas para combater a severa crise econômica que eclodiu nos EUA em meados de 2007 e de lá foi irradiada para todo o mundo. A ação desperta naturalmente a pergunta que dá título ao artigo. Será que agora vai? A respost...
20/11/2008 Eduardo Bomfim
É importante considerar a verdadeira essência dos fenômenos surgidos da crise econômica internacional, originária da farra especulativa nos Estados Unidos da América e transformada, rapidamente, em um grave desconforto mundial. Os EUA e a Comunidade Européia vão apresentando claros sinais de uma forte recessão, anunciada oficialmente pela principal economia do velho mundo, a Aleman...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com