Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
UE/Euro: Prisão de povos
17/07/2015Jorge Cadima
Os acontecimentos dos últimos dias são portadores de importantíssimos ensinamentos sobre a verdadeira natureza da dominação de classe, do imper...
A operação em curso – nome de código: Grécia
10/07/2015Vaz de Carvalho
Contrariamente às ilusões europeístas o sistema é incapaz de resolver os problemas provocados pela financeirização da economia a favor do rent...
Aprofundamento da União Económica e Monetária Europeia – ensaio sobre a cegueira
10/07/2015Miguel Viegas
Em traços gerais, este relatório dos cinco presidentes aponta para o reforço dos pilares neoliberal e federalista da UE. Podando o discurso dos h...
Grécia – a força do povo
10/07/2015Ângelo Alves
O povo grego emitiu uma opinião muito «simples» e clara. Quer mandar no seu próprio devir colectivo. Entende que o seu país é o seu povo e nã...
Uma guerra de classe
10/07/2015Filipe Diniz
A UE conduz uma guerra. Descrever essa guerra como uma guerra que opõe países ricos e países pobres não ajuda a entender a sua natureza. É uma ...
O caldeirão grego
03/07/2015Luís Carapinha
Ucrânia, o fascismo galopante
25/06/2015Raúl Antonio Capote
O contra-senso comum
25/06/2015Boaventura de Sousa Santos
imperialismo
20150611_americalatina
No período imediato , na maior parte da região, Washington busca uma política de intervenção e pressão política, diplomática e económica. A Casa Branca está a contar com o "giro para direita" de antigos governos de centro-esquerda a fim de facilitar o retorno ao poder de regimes clientes descaradamente neoliberais em futuras eleições. Isto é especialmente verdadeiro em relação ao Br...
O Estado Islâmico, ISIS ou Daesh, foi criado pela CIA, a MOSSAD e o MI6 para rebentar com a Síria.… ¿Como é possível que prossiga a estratégia dos EUA no sentido de criar um estado policial mundial? Passando pela destruição de povos, culturas ancestrais e restos de antigas civilizações. A barbárie na sua máxima dimensão. Coisas que não querem que saibas da Al-qaeda 1-Os EUA apoia...
8/5/2015 Luís Carapinha // Avante
Cumpriu-se o primeiro aniversário dos sangrentos acontecimentos de 2 de Maio em Odessa que culminaram com o incêndio e a chacina na Casa dos Sindicatos, ceifando a vida de mais de 40 antifascistas ucranianos.  A funesta data foi assinalada sob mordaça e forte aparato militar na cidade herói do Mar Negro, de reconhecidas tradições revolucionárias – por ali passou a revolução russa...
As grandes conquistas democráticas do período do imediato pós-guerra, a independência nacional, os valores civilizacionais sofreram brutal retrocesso a partir da década de 90 do século passado, quando o traço principal da situação passou a ser a brutal ofensiva do imperialismo estadunidense e seus aliados para assegurar posições de domínio no mundo  No dia 30 de abril de 1945, di...
30/4/2015 Albano Nunes // Avante
20150430_lampedusa.naufraxio
São seres humanos que fogem do inferno em que o sistema capitalista em crise e as guerras de agressão imperialistas está a transformar vastas regiões do mundo. Como no Afeganistão, no Iraque, na Líbia, na Síria, no Iémen e na martirizada Palestina. É aqui que residem as causas profundas da tragédia do Mediterrâneo  Depois da tragédia de Lampedusa que em Setembro de 2013 sobressal...
21/4/2015 Tariq Ali // Rebelión
20150421_mundo
Non hai un só país da Unión Europea que teña verdadeira soberanía. Despois da fin da Guerra Fría e a reunificación, Alemaña converteuse no país máis forte e estratexicamente máis importante de Europa, pero aínda así non ten total soberanía  Hai tres décadas, co fin da Guerra Fría e o desmantelamento das ditaduras de América do Sur, moitos esperaban que por fin se materializa...
20/4/2015 James Petras // ODiario.info
20150420_otan.imperialismo
Os EUA e seus aliados ocidentais, em especial a Alemanha, expandiram com êxito o seu império na Europa de Leste, nos Balcãs e no Báltico sem dispararem um tiro. Estes países foram convertidos em estados vassalos da UE. Os seus mercados foram dominados e as suas indústrias desnacionalizadas. As forças armadas foram recrutadas como mercenárias da NATO Introdução  Nos últimos 50 ano...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com