Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
Refugiados e deslocados: Podíamos ser nós…
29/08/2016João Pimenta Lopes
O fluxo de refugiados e deslocados, hoje já sem as muitas capas e noticiários que encheu até Março deste ano, tem uma dimensão que é muitas ve...
Mercosul na contra-maré
29/08/2016Luís Carapinha
A inflexão do rumo do Mercosul ou mesmo a sua paralisação se inscrevem na estratégia dos EUA de promoção da Aliança do Pacífico (à qual a A...
Sahara, un conflito esquecido
26/08/2016Iosu Perales
O obxectivo marroquí non é outro que provocar unha fatiga en Nacións Unidas, e mesmo na poboación saharauí, de maneira que cedan ante o que é ...
EEUU en contra do Libre Comercio?
26/08/2016Germán Gorraiz Lopez
A Asociación Transpacífico (TPP polas súas siglas en inglés) sería a peza central de Obama na súa política de reafirmación do poder económi...
Portugal: Sanções, FMI e cegueiras
24/08/2016Sandra Monteiro
A arquitectura da União Europeia neoliberal, mais ou menos punitiva, está formatada para impor a Portugal desemprego, salários baixos, emigraçã...
A nova doutrina estratégica Turca
23/08/2016Thierry Meyssan
A lógica do capitalismo neoliberal
22/08/2016Prabhat Patnaik
Guerras e crises na África de hoje
22/08/2016Carlos Lopes Pereira
imperialismo
29/8/2016 Luís Carapinha // Avante
A inflexão do rumo do Mercosul ou mesmo a sua paralisação se inscrevem na estratégia dos EUA de promoção da Aliança do Pacífico (à qual a Argentina já se associou como observador, constando que o governo ilegítimo de Temer também o pretende fazer) e de ferrar a subordinação das economias regionais ao grande capital financeiro  Três governos de direita da América do Sul, Argen...
As actuais guerras africanas têm um traço comum: a ingerência estrangeira. É velha a estratégia imperialista de fomentar conflitos armados e divisões étnicas e religiosas para melhor dominar os povos e explorar as suas riquezas  Não são boas as notícias que chegam de África. Persistem guerras em diferentes países e surgem ou prolongam-se crises políticas noutros.  As actua...
20160819_cartaz.yankee.go.home.jpg
A estratégia de Washington de golpes ilegais e violentos para manter a ilusão de império estende-se através do globo, indo desde Trump nos EUA a Putin na Rússia, desde Erdogan na Turquia a Maduro na Venezuela e Xi Jinping na China. O conflito é entre o imperialismo dos EUA-UE apoiado pelos seus clientes locais contra regimes endógenos enraizados em alianças nacionalistas  Washington ...
EEUU ten establecidos dous escenarios de conflito, que definirán o éxito ou o fracaso do seu proxecto de hexemonía mundial no século XXI: Europa e o Sueste Asiático (sen esquecer Irán e o Golfo Pérsico). Pero EEUU sabe que non pode enfrontar só a dúas potencias das magnitudes de China e Rusia  Hai poucos días, o Atlantic Council, un think tank próximo á OTAN, publicou un alarmant...
A NATO não é um instrumento de construção da Paz, mas sim de subjugação política e militar, e instrumento de guerra para que os seus membros europeus têm sido convocados a combater na Jugoslávia, Afeganistão, Iraque, Líbia... A NATO NA EUROPA HOJE [1]  A NATO detêm forte presença na Europa, em todos os azimutes. A sua infraestrutura compreende cerca de 50 bases militares norte-...
À mutação da base material do capitalismo corresponde uma mutação das formas da dominação política. O principal objectivo já não é instalar governos títeres que já não conseguem resistir de forma duradoura à cólera popular, mas sim balcanizar por meio da guerra para fazer com que esses países se tornem ingovernáveis. Do Afeganistão à Somália, do Iraque ao Sudão o resultado da...
27/5/2016 Manlio Dinucci // Vermelho
No campo de visão da estratégia golpista de Washington encontram-se hoje o Brasil, para minar por dentro os Brics, e a Venezuela, para minar a Aliança Bolivariana para as Américas (Alba)  Que ligação existe entre entre sociedades geográfica, histórica e culturalmente distantes, do Kosovo à Líbia e a Síria, do Iraque ao Afeganistão, da Ucrânia ao Brasil e a Venezuela?  O tr...
cig.prensa@galizacig.com