Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
Nos 70 anos da Vitória de 1945
13/05/2015Jorge Cadima
A História mostra que o fascismo torna-se uma ameaça séria quando as classes dominantes optam pelo exercício do seu poder através da violência...
O medo de sair da zona do euro não deveria mais paralisar a Grécia
13/05/2015Stathis Kouvélakis
O que está em jogo na Grécia é a possibilidade de uma mudança radical e uma virada política na direção da emancipação não só de um povo e...
Stathis Kouvelakis
13/05/2015
...
Odessa não esquece
08/05/2015Luís Carapinha
Cumpriu-se o primeiro aniversário dos sangrentos acontecimentos de 2 de Maio em Odessa que culminaram com o incêndio e a chacina na Casa dos Sindi...
Grécia, ditadura financeira e caos
08/05/2015Immanuel Wallerstein
A Grécia foi admitida na zona do euro em 2000, supostamente por ter alcançado as exigências formais para isso. Quando, depois de 2008, a dívida ...
Hai alternativas ao TTIP e aos tratados de “libre comercio”?
05/05/2015Juan Hernández Zubizarreta e Pedro Ramiro
Tragédia no Mediterrâneo
30/04/2015Albano Nunes
Alonarti Envases
17/4/2009 Reclaman un plano de viabilidade que garanta o futuro da empresa
O Comité de Alonarti Envases, en O Porriño, deu por finalizado o peche que mantiña nas instalacións da fábrica logo chegar a un principio de acordo coa representación social de Vialmar (propietaria da empresa) no transcurso dunha reunión celebrada o 16 de abril. O Comité quedou emprazado a unha nova xuntanza o vindeiro xoves 23, na que se dará a coñecer o plano de viabilidade e futuro para Alonarti e se analizarán as medidas a levar adiante.
15/4/2009 Critican que a fábrica careza de sistema de produción e de cualidade
Os nove membros do Comité de Empresa de Alonarti Envases, situada no Polígono das Gándaras de O Porriño, manteñen dende o martes 14 de abril un peche indefinido nas instalacións da fábrica para reclamar á dirección un plano de viabilidade que garanta o futuro da empresa. Segundo indicaron, dende que a construtora Vialmar adquiriu a planta, esta está a sufriu unha constante recesión, ao carecer de sistema de produción e de cualidade ao tempo que se lamentou que non saiban aproveitar a abundante carga de traballo que ten esta empresa que da traballo a 125 persoas.
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com