Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
Artigos de opinión
América Latina despois de Panamá
16/04/2015Juan Manuel Karg
Aínda que Obama logrou a foto que quería xunto a Raúl Castro, e aproveitou os días previos para se reunir cos países do Caribe nucleados en Car...
Algumas notas sobre o TTIP (Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento UE-EUA)
16/04/2015João Ferreira
O TTIP comporta sérias ameaças ao emprego – levando a uma corrida ao fundo no plano dos direitos, salários e condições de trabalho. Sublinhe-...
Eric Toussaint: “A débeda ilexítima non se debe pagar”
16/04/2015
 Eric Toussaint, Coordinador da comisión do Parlamento de Grecia para a auditoría da Débeda, e Adolfo Muñoz "Txiki", secretario xeral de EL...
Israel prepara a guerra
13/04/2015Immanuel Wallerstein
O primeiro-ministro de Israel, Benyamin Netanyahu alcançou uma expressiva vitória eleitoral em Israel, em 17 de março. Conseguiu isso fazendo doi...
A historia endexamais contada da integración europea
13/04/2015Héctor Illueca Ballester
A verdadeira disxuntiva consiste en saír do euro e recuperar a soberanía ou afrontar unha lenta pero inexorábel transición cara ao subdesenvolve...
Caos
10/04/2015Jorge Cadima
O conceito de imperialismo
07/04/2015Prabhat Patnaik
Alvos de guerra
07/04/2015Max Altman
Defendamos a Venezuela em perigo
30/03/2015Guillermo Almeyra
Portugal
10/4/2015 Avante // Avante
Defender a soberania alimentar nacional passa, incontornavelmente, pela defesa da produção leiteira. No imediato, é fundamental recuperar o sistema das quotas até porque os futuros «contratos» entre compradores e produtores não vão defender os preços à produção  À data da adesão – 1986 – de Portugal à então CEE e da nossa agricultura à PAC (Política Agrícola Comum), a ...
A pobreza em Portugal sempre assumiu grande extensão e intensidade, a ela estão associadas profundas desigualdades sociais, acumulação de riqueza, o que tem levado a uma má distribuição de recursos materiais, culturais e sociais que permitam às pessoas aceder às condições mínimas da sociedade.  As políticas neoliberais que inspiraram a vida económica nas últimas décadas acent...
A UE tem os povos presos nas grilhetas do endividamento e do euro. Esta situação só será alterada pela resistência popular. O caso grego mostrou que esta resistência amadureceu na consciência dos povos 1 – Negociações não antagónicas  Um governo progressista em Portugal será confrontado com as imposições da UE. As negociações do Syriza, representando uma indisfarçável ca...
Só com a libertação do jugo do Euro será possível implementar uma efectiva alternativa de esquerda. Sob a ditadura do Euro, objectivamente, a "alternativa" cinge-se a um pouco mais de sensibilidade social na governação. Mas não permite a implementação de uma política macroeconómica de ruptura com o neoliberalismo, de desenvolvimento, de progresso social, de valorização do trabalho e ...
8/10/2014 João Ferreira // Avante
A saída do euro é necessária para libertar o País da subalternidade, da dependência e do atraso. É necessária para libertar o povo português da «austeridade» permanente. Mas deve ter condições: a preparação do País; o respeito pela vontade popular, a condução do processo por um governo empenhado em defender os rendimentos, as poupanças, os níveis de vida e os direitos da general...
Os tratados da UE e o euro são o culminar de um processo de relações de capitalismo dominado face a um centro dominante, em que são estabelecidos processos de troca desigual, devido aos desequilíbrios da estrutura produtiva, diferenças de produtividade e transferências de capitais, rendimentos e juros Quando Marx nota que "o comércio livre é a forma de uns países enriquecerem à custa d...
Os documentos da troika são insultos à dignidade do país e do seu povo. As políticas da troika são o programa das políticas de direita: Portugal ser um país cada vez mais subdesenvolvido. Os próprios avanços tecnológicos em certas atividades, subsistem na base com baixos salários e precariedade. Mesmo isto a troika acha que é demais. Se os povos da Europa não se levantarem, os bancos ...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com