Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
 
Artigos de opinión
A era das guerras imperiais (Das guerras regionais, às "mudança de regime" e à guerra global)
31/08/2015James Petras
Milhões de refugiados de guerra escapam rumo à segurança na Europa Ocidental, juntando-se aos milhões de refugiados económicos que fugiram da p...
UE/Euro: Prisão de povos
17/07/2015Jorge Cadima
Os acontecimentos dos últimos dias são portadores de importantíssimos ensinamentos sobre a verdadeira natureza da dominação de classe, do imper...
A operação em curso – nome de código: Grécia
10/07/2015Vaz de Carvalho
Contrariamente às ilusões europeístas o sistema é incapaz de resolver os problemas provocados pela financeirização da economia a favor do rent...
Aprofundamento da União Económica e Monetária Europeia – ensaio sobre a cegueira
10/07/2015Miguel Viegas
Em traços gerais, este relatório dos cinco presidentes aponta para o reforço dos pilares neoliberal e federalista da UE. Podando o discurso dos h...
Grécia – a força do povo
10/07/2015Ângelo Alves
O povo grego emitiu uma opinião muito «simples» e clara. Quer mandar no seu próprio devir colectivo. Entende que o seu país é o seu povo e nã...
Uma guerra de classe
10/07/2015Filipe Diniz
O caldeirão grego
03/07/2015Luís Carapinha
Ucrânia, o fascismo galopante
25/06/2015Raúl Antonio Capote
nuclear
20121010_romney-obama.jpg
Agora que o espetáculo da eleição presidencial está chegando ao ápice, é útil perguntar como as campanhas políticas estão abordando os temas mais cruciais que enfrentamos. A resposta é singela: estão abordando mal ou não estão, simplesmente. Neste caso, surgem algumas perguntas importantes: por que e o que podemos fazer a respeito? Esses são dois temas de suma importância, porque o ...
20110504_non.nucleares-protesta.jpg
Fukushima marca, en materia de enerxía atómica, a fin dunha ilusión e o comezo de a era post-nuclear. Clasificado agora de nivel 7, ou sexa o máis alto na escala internacional dos incidentes nucleares (INES), o desastre xaponés xa é comparábel ao de Chernóbil (ocorrido en Ucraína en 1986) polos seus “efectos radioactivos considerábeis na saúde das persoas e no medio ambiente”. &nbs...
Como o 11 de setembro transformou os Estados Unidos, o 11 de março transformará o Japão. O cataclismo será um eletrochoque e a reconstrução se converterá no objetivo nacional do qual carecem hoje os japoneses? O fato de ter roçado o Apocalipse os levará a reconsiderar um modo de desenvolvimento, onde um único acidente pode transformar uma de suas megalópoles em um deserto envenenado? Es...
As consequências de um ataque mais amplo por parte dos EUA, da OTAN e de Israel contra o Irã são de grande alcance. A guerra e a crise econômica estão intimamente relacionadas. A economia de guerra é financiada por Wall Street que, por sua vez, se ergue como credor da administração dos EUA. Por sua vez, “a luta pelo petróleo” no Oriente Médio e Ásia Central serve diretamente aos in...
9/8/2010 Atilio A. Boron
20100809_hiroshima.jpg
Non é esaxerado afirmar que a historia do terrorismo de Estado comeza coa agresión nuclear estadounidense ao Xapón. Se de armas de destrución masiva se trata Estados Unidos destaca con moito e sen competidor á vista, e o seu bombardeo a dúas poboacións indefensas constitúe, sen dúbida, o máis grave e salvaxe atentado terrorista da historia da humanidade. O 6 de agosto fixéronse 6...
29/6/2010 Pedro Guerreiro // Avante
Não pode deixar de ser denunciado o sério e perigoso significado das recentes sanções contra o Irão aprovadas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas, que contou com os dignos votos contra do Brasil e da Turquia (e a abstenção do Líbano). Estas novas medidas do Conselho de Segurança das NU contra o Irão partiram de mais uma iniciativa dos EUA - apadrinhada pela França, Al...
Como pano de fundo das pressões dos EUA para impor sanções que impeçam o Irã de desenvolver seu programa nuclear está o veto imperial visando intimidar todos os países que dão passos concretos para romper a dependência tecnológica. Esta dependência funciona como um vergonhoso muro que bloqueia o desenvolvimento soberano de inúmeros países emergentes, mas com desdobramentos planetári...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com