Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
 
Artigos de opinión
Grécia: Syriza enfrenta decisões difíceis
26/01/2015Dimitris Belladis
Syriza pode se tornar uma força de contestação antineoliberal e anticapitalista, embora infelizmente esta coalizão também possa ser a base de u...
A União Europeia não existe
21/01/2015Vaz de Carvalho
A UE não existe, o que existe é um problema, uma guerra de classe contra os povos sob a designação de UE. Que democracia, que vontade do povo se...
A estratégia da tensão de dois terrorismos: o jihadista e o imperialista
21/01/2015Achille Lollo
O ataque ao semanário Charlie Hebdo alimenta uma dúplice estratégia da tensão, onde, por um lado, as células jihadistas exploram o degrado e o ...
Ucrânia e fascismo
15/01/2015Inês Zuber
A população do Donbass e os patriotas ucranianos que resistem à fascização da Ucrânia – vulgarmente conhecidos nos media dominantes por «te...
Charlie Hebdo: Uma reflexão difícil
14/01/2015Boaventura de Sousa Santos
Não estamos perante um choque de civilizações, até porque a cristã tem as mesmas raízes que a islâmica. Estamos perante um choque de fanatism...
Atalhos
14/01/2015Tariq Ali
A lógica que há por trás
09/01/2015Martín Granovsky
Accidentes
10/2/2009 Datos apresentados pola CIG desta comarca
Un total de 4.468 accidentes con baixa en xornada laboral rexistráronse en Ourense durante o ano 2008, 13 máis que no mes ano anterior o que representa un incremento do 0,25 % sendo a única provincia galega na que aumentou a sinistralidade. Os recoñecidos como accidentes leves foron 4.388, 72 graves e 8 mortais, un máis que no ano 2007. A este alto número de accidentes laborais en xornada de traballo hai que engadir os accidentes in itinere, e dicir, os ocorridos ao ir ou regresar do traballo que aumentaron de 339 no ano 2007 a 353 no 2008 ( 4,13 % máis ). Especial gravidade ten o aumento de accidentes mortais que houbo 6 traballadores mortos (1 o ano anterior), 14 graves ( 12 no 2007 ) e 333 leves.
27/12/2007 Non máis sinistros
O representante da CIG no Comité Provincial de Seguridade e Saúde Laboral de Ourense, Anxo Pérez Carballo, fixo diversas propostas, na reunión trimestral do organismo, encamiñadas a erradicar os accidentes que ocasionalmente teñen sufrido escolares que son levados aos centros de ensino en autobús, máis concretamente aqueles que se producen cando o neno ou a nena sobe ou baixa do vehículo.
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com