Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
 
Artigos de opinión
Nos 70 anos da Vitória de 1945
13/05/2015Jorge Cadima
A História mostra que o fascismo torna-se uma ameaça séria quando as classes dominantes optam pelo exercício do seu poder através da violência...
O medo de sair da zona do euro não deveria mais paralisar a Grécia
13/05/2015Stathis Kouvélakis
O que está em jogo na Grécia é a possibilidade de uma mudança radical e uma virada política na direção da emancipação não só de um povo e...
Stathis Kouvelakis
13/05/2015
...
Odessa não esquece
08/05/2015Luís Carapinha
Cumpriu-se o primeiro aniversário dos sangrentos acontecimentos de 2 de Maio em Odessa que culminaram com o incêndio e a chacina na Casa dos Sindi...
Grécia, ditadura financeira e caos
08/05/2015Immanuel Wallerstein
A Grécia foi admitida na zona do euro em 2000, supostamente por ter alcançado as exigências formais para isso. Quando, depois de 2008, a dívida ...
Hai alternativas ao TTIP e aos tratados de “libre comercio”?
05/05/2015Juan Hernández Zubizarreta e Pedro Ramiro
Tragédia no Mediterrâneo
30/04/2015Albano Nunes
xuristas
20/1/2010 Foi subscrito por xuíces, fiscais, avogados e profesores universitarios
O dereito á educación non está suxeito ao voto das familias; o ensino obrigatorio debe garantir un coñecemento igual do galego e do castelán; as linguas estranxeiras non son linguas oficiais; o galego é unha lingua propia do ensino en Galiza e o ensino en galego está amparado polo Dereito Internacional. Estas son algunhas das conclusións máis salientábeis do documento presentado, en rolda de prensa, por un grupo de xuristas tras analizar, do punto de vista xurídico, as “Bases para a elaboración do decreto do plurilingüismo no ensino non universitario de Galicia”.
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com