Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
 
Artigos de opinión
Ucrânia, o fascismo galopante
25/06/2015Raúl Antonio Capote
Na Ucrânia se trava uma grande batalha contra o fascismo, o triunfo das forças obscuras deixaria aberta a via da opção fascista, nunca descartad...
A crise da UE e a “experiência” grega
25/06/2015Ângelo Alves
A realidade na Grécia, mas também em toda a UE, é de uma luta de classes muito aguda. Nessa luta, os fatores nacional e supranacional relacionam-...
O contra-senso comum
25/06/2015Boaventura de Sousa Santos
O modo como a crise financeira da Europa do Sul tem sido "resolvida", o vasto cemitério líquido em que se transformou o Mediterrâneo, o crescimen...
A duplicidade como política de Washington para a América Latina: Marines para a América Central e diplomatas para Cuba
11/06/2015James Petras
No período imediato , na maior parte da região, Washington busca uma política de intervenção e pressão política, diplomática e económica. A...
AENC: Control horario vs traballo por obxectivos
03/06/2015Clodomiro Montero M.
O AENC 2015, recentemente asinado entre CCOO, UGT e as patronais a nivel estatal, xa está marcando as liñas da negociación colectiva. Máis alá ...
A nova xeopolítica do petróleo
01/06/2015Ignacio Ramonet
Nos 70 anos da Vitória de 1945
13/05/2015Jorge Cadima
dereita
27/2/2015 Altamiro Borges
20150227_Maduro.Dilma.Cristina
Os três países têm vários traços em comum. Em todos eles, a direita partidária sofreu duras derrotas eleitorais nos últimos anos. Forças contrárias ao neoliberalismo, com suas nuances e ritmos diferenciados, chegaram ao governo – e não ao poder  Diante desta onda reacionária, os governantes dos três países (Argentina, Venezuela e Brasil) são chamados a enfrentar a “guerra d...
21/2/2014 Ângelo Alves // Avante
Legitimado por duas fortes vitórias eleitorais o governo de Nicolas Maduro pôs em marcha um «plano de pacificação» da sociedade venezuelana e aprovou um conjunto de medidas que aprofundam ainda mais o carácter progressista de orientação socialista do processo venezuelano e que acossam ainda mais as hordas do poder económico reaccionário e fascista venezuelano. Já passaram 12 anos sobr...
19/4/2013 Salim Lamrani
A oposição venezuelana, pela voz de Capriles, que não apresentou em nenhum momento provas factuais e não empreendeu nenhum trâmite legal para contestar a eleição , parece apostar na radicalização que já levou a orquestrar um golpe de Estado em abril de 2002 contra o então presidente Hugo Chávez, com a participação ativa da administração Bush que foi a única, além da Espanha, a re...
18/4/2013 Atilio A. Boron
20130418_Venezuela_Maduro.jpg
Até o 2016 a Asemblea Nacional terá unha ampla maioría chavista (95 sobre 165) e que o novo presidente contará co apoio de 20 dos 23 gobernadores da República Bolivariana. A correlación de forzas, polo tanto, segue mostrando un claro predominio do chavismo, e a resposta de numerosos gobernos da rexión e de fóra dela -como China e Rusia, entre outros- engade un importante recoñemento para ...
Após uma década de governos progressistas bem sucedidos na região, as oposições de direita não podem expressar seu “verdadeiro discurso”, ou seja, aquele que corresponde de forma mecânica à representação que exercem sobre determinadas frações das camadas médias da população. Elas estão obrigadas a incorporar, ao menos na fachada, políticas populares em seus programas.  ...
As contas não fecham, os mercados financeiros emprestam a taxas exorbitantes e a Troika (União Europeia, Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional) exige ajustes em troca de um resgate que evite a quebra. Com esse panorama de fundo, França e Espanha escolheram estratégias diferentes, o que levou alguns analistas a distinguir entre uma austeridade de esquerda e outra de direita. ...
Congreso dos Deputados, Madrid. Xurxo Martiz - CIG Migración.jpg
«Oiga usted, yo soy de un partido de derechas y nacionalicé un banco...». Esta é, se cadra, a afirmación máis transcendente e profunda de Rajoy durante anos. Pronunciada durante o pleno extraordinario da cuarta feira, 11 de xullo, en que explicou as razóns que o levaron a socializar as perdas da nefasta iniciativa privada financeira da gomina e ximnasio con pulseiras masculinas incluídas, ...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com