Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
 
Artigos de opinión
Ucrânia, o fascismo galopante
25/06/2015Raúl Antonio Capote
Na Ucrânia se trava uma grande batalha contra o fascismo, o triunfo das forças obscuras deixaria aberta a via da opção fascista, nunca descartad...
A crise da UE e a “experiência” grega
25/06/2015Ângelo Alves
A realidade na Grécia, mas também em toda a UE, é de uma luta de classes muito aguda. Nessa luta, os fatores nacional e supranacional relacionam-...
O contra-senso comum
25/06/2015Boaventura de Sousa Santos
O modo como a crise financeira da Europa do Sul tem sido "resolvida", o vasto cemitério líquido em que se transformou o Mediterrâneo, o crescimen...
A duplicidade como política de Washington para a América Latina: Marines para a América Central e diplomatas para Cuba
11/06/2015James Petras
No período imediato , na maior parte da região, Washington busca uma política de intervenção e pressão política, diplomática e económica. A...
AENC: Control horario vs traballo por obxectivos
03/06/2015Clodomiro Montero M.
O AENC 2015, recentemente asinado entre CCOO, UGT e as patronais a nivel estatal, xa está marcando as liñas da negociación colectiva. Máis alá ...
A nova xeopolítica do petróleo
01/06/2015Ignacio Ramonet
Nos 70 anos da Vitória de 1945
13/05/2015Jorge Cadima
Consello europeo
15/12/2011 Albano Nunes // Avante
20111215_consello.europeo-dec2011.jpg
Pela própria natureza de classe da UE e a profunda crise em que se debate, este Conselho Europeu não deu, nem podia ter dado resposta ao flagelo do desemprego ou à profunda recessão que se anuncia para o «espaço europeu». A «resposta» encontrada foi uma vez mais a de prosseguir e intensificar as políticas de «austeridade» e «ajustamento estrutural» que, da Grécia à Itália, passand...
16/4/2010 Ilda Figueiredo // Avante
20100416_consello.europeo.van-rompuy.2010.jpg
O primeiro Conselho Europeu após a entrada em vigor do Tratado de Lisboa, realizado em 25 e 26 de Março passado, em Bruxelas, deixou marcas profundas que demonstram como se preparam para aprofundar o federalismo, o neoliberalismo e o militarismo, aproveitando a crise do capitalismo que ajudaram a agravar, para aumentar a exploração e as desigualdades sociais, servindo os interesses dos grupos...
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com