Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
 
Artigos de opinión
Um olhar sobre o Brexit
01/07/2016João Ferreira
A ausência ou debilidade de projectos de ruptura pela esquerda com a UE constitui um perigo capaz de comportar consequências potencialmente trági...
Brasil: O golpismo contra-ataca
30/06/2016Emir Sader
A incapacidade de iniciativa política da luta contra o golpe, que combine mobilizações populares com proposta política viável no curto prazo, ...
Porque os britânicos disseram não à Europa
28/06/2016John Pilger
O voto maioritário dos britânicos a favor do abandono da União Europeia foi um acto de democracia pura. Milhões de pessoas comuns recusaram-se a...
UE: Os dias contados
28/06/2016Jorge Bateira
Tendo em conta que as políticas da UE não serão alteradas no essencial, já que isso é do interesse das elites alemãs e da tecno-burocracia de ...
O referendo inglês: o irrecusável "não", suas perspectivas e riscos
28/06/2016Haroldo Lima
A UE frustrou a esperança de vida de grande parte da gente que dizia unir. O bem-estar foi substituído pela "austeridade". E as reações se este...
O direito soberano de decidir
23/06/2016João Pimenta Lopes
obra social
8/6/2015 A Executiva Comarcal reclama das institucións públicas a declaración de persoa non grata en Lugo para Escotet
A Executiva Comarcal da CIG Lugo - A Mariña vén de denunciar a “sen razón” que supón o peche da Gardería do Sagrado Corazón, en funcionamento dende o ano 1978. A gardería forma parte da Obra Social de Caixa Galicia, na actualidade Abanca, e cumpre “un fin social determinante para a conciliación laboral e familiar no barrio sagrado Corazón, así como os limítrofes de Paradai ou As Gándaras”.
7/10/2011 CIG-Banca concentrarase o 18 de outubro diante das sedes centrais da Caixa
A Dirección de novacaixagalicia (entendendida como a Caixa de Aforros xa sen actividade comercial) anunciou  que a participación no Banco da Caixa, reducida ao 6,84% pola negociación entre o Banco de España e os Fondos norteamericanos encabezados por José María Castellano, faría inviable a Obra Social e os 335 postos de traballo. Foi o remate dunha semana de escándalo.A CIG, ten convocado mobilizacións para esixir a paralización do proceso de privatización da entidade e unha fonda investigación ante a escandalosa actuación dos ex-directivos, directivos actuais, Banco de España e Xunta de Galicia.
cig.prensa@galizacig.com