Portada
Temas
Confederal
Sectores
Entrevistas
Opinion
Multimedia
Contacta
 
 
Artigos de opinión
UE/Euro: Prisão de povos
17/07/2015Jorge Cadima
Os acontecimentos dos últimos dias são portadores de importantíssimos ensinamentos sobre a verdadeira natureza da dominação de classe, do imper...
A operação em curso – nome de código: Grécia
10/07/2015Vaz de Carvalho
Contrariamente às ilusões europeístas o sistema é incapaz de resolver os problemas provocados pela financeirização da economia a favor do rent...
Aprofundamento da União Económica e Monetária Europeia – ensaio sobre a cegueira
10/07/2015Miguel Viegas
Em traços gerais, este relatório dos cinco presidentes aponta para o reforço dos pilares neoliberal e federalista da UE. Podando o discurso dos h...
Grécia – a força do povo
10/07/2015Ângelo Alves
O povo grego emitiu uma opinião muito «simples» e clara. Quer mandar no seu próprio devir colectivo. Entende que o seu país é o seu povo e nã...
Uma guerra de classe
10/07/2015Filipe Diniz
A UE conduz uma guerra. Descrever essa guerra como uma guerra que opõe países ricos e países pobres não ajuda a entender a sua natureza. É uma ...
O caldeirão grego
03/07/2015Luís Carapinha
Ucrânia, o fascismo galopante
25/06/2015Raúl Antonio Capote
O contra-senso comum
25/06/2015Boaventura de Sousa Santos
obra social
8/6/2015 A Executiva Comarcal reclama das institucións públicas a declaración de persoa non grata en Lugo para Escotet
A Executiva Comarcal da CIG Lugo - A Mariña vén de denunciar a “sen razón” que supón o peche da Gardería do Sagrado Corazón, en funcionamento dende o ano 1978. A gardería forma parte da Obra Social de Caixa Galicia, na actualidade Abanca, e cumpre “un fin social determinante para a conciliación laboral e familiar no barrio sagrado Corazón, así como os limítrofes de Paradai ou As Gándaras”.
7/10/2011 CIG-Banca concentrarase o 18 de outubro diante das sedes centrais da Caixa
A Dirección de novacaixagalicia (entendendida como a Caixa de Aforros xa sen actividade comercial) anunciou  que a participación no Banco da Caixa, reducida ao 6,84% pola negociación entre o Banco de España e os Fondos norteamericanos encabezados por José María Castellano, faría inviable a Obra Social e os 335 postos de traballo. Foi o remate dunha semana de escándalo.A CIG, ten convocado mobilizacións para esixir a paralización do proceso de privatización da entidade e unha fonda investigación ante a escandalosa actuación dos ex-directivos, directivos actuais, Banco de España e Xunta de Galicia.
Engadir ao calendario
cig.prensa@galizacig.com